A Paz do Senhor Jesus!

A Paz do Senhor Jesus! Seja bem vindo. Assista nossos vídeos:



Loading...

sábado, 3 de agosto de 2013

O que realmente importa...

Era uma vez o jovem que recebeu do rei a tarefa de levar uma mensagem e alguns diamantes a um outro rei de uma terra distante. 

Recebeu também o melhor cavalo do reino para levá-lo na jornada.
 


- Cuida do mais importante e cumprirás a missão! - disse o soberano ao se despedir.
 

Assim, o jovem preparou o seu alforje, escondeu a mensagem na bainha da calça e colocou as pedras numa bolsa de couro amarrada a cintura, sob as vestes. Pela manhã, bem cedo, sumiu no horizonte. E não pensava sequer em falhar. Queria que todo o reino soubesse que era um nobre e valente rapaz, pronto para desposar a princesa.

Aliás, esse era o seu sonho e parecia que a princesa correspondia às suas esperanças.

Para cumprir rapidamente sua tarefa, por vezes deixava a estrada e pegava atalhos que sacrificavam sua montaria. Assim, exigia o máximo do animal. Quando parava em uma estalagem, deixava o cavalo ao relento, não lhe aliviava da sela e nem da carga, tampouco se preocupava em dar-lhe de beber ou providenciar alguma ração. -

Assim, meu jovem, acabas perdendo o animal - disse alguém.
 

- Não me importo - respondeu ele - Tenho dinheiro. Se este morrer, compro outro. Nenhuma falta fará!
 

Com o passar dos dias e sob tamanho esforço, o pobre animal não suportando mais os maus-tratos, caiu morto na estrada.

O jovem simplesmente o amaldiçoou e seguiu o caminho a pé.

Acontece que nessa parte do país havia poucas fazendas e eram muito distantes umas das outras. Passadas algumas horas, ele se deu conta da falta que lhe fazia o animal. Estava exausto e sedento. Já havia deixado pelo caminho toda a tralha, com exceção das pedras, pois lembrava da recomendação do rei: "Cuida do mais importante!"
 

Seu passo se tornou curto e lento. As paradas frequentes e longas. Como sabia que poderia cair a qualquer momento e temendo ser assaltado, escondeu as pedras no salto de sua bota. Mais tarde caiu exausto no pó da estrada, onde ficou desacordado. Para sua sorte, uma caravana de mercadores que seguia viagem para o seu reino, o encontrou e cuidou dele. Ao recobrar os sentidos, encontrou-se de volta em sua cidade.
 

Imediatamente foi ter com o rei para contar o que havia acontecido e com a maior desfaçatez, colocou toda a culpa do insucesso nas costas do cavalo "fraco e doente" que recebera.
 

- Porém, majestade, conforme me recomendaste, "cuida do mais importante", aqui estão as pedras que me confiaste. Devolvo-as a ti. Não perdi uma sequer.

O rei as recebeu de suas mãos com tristeza e o despediu, mostrando completa frieza diante de seus argumentos. Abatido, o jovem deixou o palácio arrasado.
 

Em casa, ao tirar a roupa suja, encontrou na bainha da calça a mensagem do rei, que dizia:
 

"Ao meu irmão, rei da terra do Norte. O jovem que te envio é candidato a casar com minha filha. Esta jornada é uma prova. Dei a ele alguns diamantes e um bom cavalo. Recomendei que cuidasse do mais importante. Faz-me, portanto, este grande favor e verifica o estado do cavalo. Se o animal estiver forte e viçoso, saberei que o jovem aprecia a fidelidade e força de quem o auxilia na jornada. Se, porém, perder o animal e apenas guardar as pedras, não será um bom marido nem rei, pois terá olhos apenas para o tesouro do reino e não dará importância à rainha nem àqueles que o servem".

Comparo esta estória com o ser humano que segue sua jornada na vida, tão preocupado com seu exterior, isto é, com os bens, que tudo guarda como se fosse ouro, esquecendo de viver a Cristo na sua vida e na do seu próximo.
Muitas vezes em nosso amadurecimento como cristãos nos propomos a pregar o evangelho de Cristo. Porém nos esquecemos que nossas ações falam mais alto que mil palavras. Porque elas falam o que está no coração. 
Na nossa jornada da vida muitas vezes teremos que escolher entre o dinheiro, frequentar os melhores lugares, viajar, ter as melhores coisas que o dinheiro pode comprar...
 Ou estar junto ao nosso próximo, compartilhar momentos com ele, doar nossos cinco pães e dois peixinhos para Jesus multiplicar, priorizando as almas, as bem aventuranças de Cristo... ao dinheiro, a fama e as riquezas.
O dinheiro, o Baal de nosso tempo, deve ser colocado em sua devida posição: um meio e não um fim, apenas um instrumento de Deus. Mas que o seja para somente para a Sua glória e nunca para gloriar-nos.
É claro que também devemos pedir a Deus recursos pois sem eles o bom samaritano não teria como pagar a estadia do seu próximo na estalagem. Pedi e dar-se vós há ensinou-nos Jesus. Deus quer que exponhamos TODAS as nossas necessidades até mesmo para livrar-nos de toda e qualquer ansiedade aos pés da cruz em confissão. Apesar dEle conhecer tudo de que precisamos. Nós valemos muito mais que passarinhos e ervas do campo, devemos lembrar...
Também não devemos nos iludir e seguir após falsos pastores ou líderes pois já fomos libertos por Cristo e ele é nosso único mestre. Pelos frutos os conhecereis Jesus nos advertiu. Quer conhecer um líder ou um pastor verifique o rebanho. Se ele estiver forte e viçoso, alegre e cheio dos frutos do espírito então ele está sendo pastoreado por Cristo, o bom pastor. Se não está, devemos refletir o porquê.

Meu querido não adianta frequentar igreja, ser dizimista fiel e ofertante se vc não vive a Cristo no seu dia a dia. Questione em cada uma das decisões a serem tomadas: O que Cristo faria em meu lugar. Por mim digo que quero estar onde Cristo está. Quero tomar a minha cruz e segui-lo. Mesmo que isso signifique andar na contramão do mundo e pagar o preço. Negar a sim mesmo e seus interesses não é fácil, mas essa é a vida que Cristo nos chama. A andar por fé na esperança daquele que nos chamou a sermos guiados por seu Espírito que sopra onde e quando quer. 
Espere nEle e viva por Ele e você poderá ouvi-lo e ser guiado por Ele. Então talvez um dia possamos dizer com total compreensão como Paulo disse: “Não vivo eu mas Cristo vive em mim”. Que seja essa a nossa ambição.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Canas e Pavios

" Não esmagará a cana quebrada, e não apagará o pavio que fumega..." Mateus 12:20 NKJV



"Canas. Poucas coisas são mais frágeis do que uma cana quebrada. Nos dias de Cristo, as crianças que brincavam ao lado do rio faziam flautas com elas. Elas as esvaziavam para que ficassem ocas e faziam buracos nelas. Mas, depois, elas eram quebradas e descartadas. Talvez um dia você tenha sido alto e forte, estava enraizado no leito do rio e era alimentado por ele. Mas agora você está escondido nos arbustos, ferido por palavras ásperas, pela traição de um cônjuge, pelo seu próprio fracasso ou por uma severa religiosidade. Pavios. Nada está mais perto da extinção do que um pavio que fumega. Quando o óleo das lâmpadas primitivas acabava e o pavio queimava, ele se extinguia, era jogado fora como algo inútil e era substituído. Você um dia ardeu cheio de fé, iluminando o caminho para outros até que os ventos gelados da crítica, da falta de perdão e do julgamento o deixaram em trevas?  O que estas pessoas têm em comum: uma mulher tremendo diante de uma multidão enfurecida ameaçando apedrejá-la; uma casa cheia de pessoas e um paralítico em uma maca e seus amigos determinados a levá-lo até Cristo; um cego clamando por sua vista e discípulos mandando-o se calar? Todos são canas quebradas e pavios que fumegam dos quais Jesus se recusou a desistir. O mundo acha que sabe o que fazer com você – quebrá-lo e apagá-lo! Mas Jesus não: “Ele não esmaga o fraco, nem apagará a menor esperança que houver” (Mt 12:20 ABV). Por pior que se sinta hoje, você não está fora do alcance da graça de Deus. Venha, Ele vai tratá-lo com carinho. Ele vai curar você."

Devocional: A Palavra para Hoje, publicada em 07/04. Primeira Igreja Batista do Recreio.