A Paz do Senhor Jesus!

A Paz do Senhor Jesus! Seja bem vindo. Assista nossos vídeos:



Loading...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Águas
















Purificadas


"Nos tempos patriarcas, a campina do Jordão "era toda bem regada... como o jardim do Senhor". Gen 13:10

Uma porção da bela campina permaneceu, com suas fontes e torrentes vivificantes. Neste vale, rico de campos de cereais e florestas de tamareiras e outras árvores frutíferas, as tribos de Israel tinham acampado depois de cruzar o Jordão, e participavam pela primeira vez dos frutos da terra prometida. Perante eles erguiam-se os muros de Jericó, baluarte pagão, o centro do culto de Astarote, a mais vil e mais degradante de todas as formas cananéias de idolatria.O Senhor Deus entregou Jericó na mão de Josué. Disse a ele para marchar em volta da cidade por seis dias.No sétimo dia marcharam sete vezes levando sempre à frente da arca da aliança: sete sacerdotes; levando cada um uma corneta de chifre de carneiro, a qual tocariam. Quando dessem um toque longo todo o povo gritaria bem alto e a muralha da cidade de Jericó cairia. E assim aconteceu e desta cidade somente se salvou a prostituta Raabe e sua família.

Nessa ocasião Josué amaldiçoou a cidade em nome de Deus, dizendo: —Quem tentar construir de novo esta cidade de Jericó será amaldiçoado pelo SENHOR! Quem puser os alicerces perderá o filho mais velho! Quem colocar os portões perderá o filho mais moço!” Josué 6:26

“Cinco séculos se passaram. O local jazia desolado, amaldiçoado de Deus. Até mesmo os mananciais que haviam feito residência nesta porção da campina tão desejável, sofreram os efeitos causticantes da maldição. Mas nos dias da apostasia de Acabe, quando foi revivida a influência do culto de Astarote por intermédio de Jezabel, Jericó, a antiga sede desse culto, foi reconstruída, embora a terrível preço para o seu reconstrutor. Hiel, o betelita, ‘morrendo Abirão, seu primogênito, a fundou, e morrendo Segube, seu último, pôs as suas portas; conforme a palavra do Senhor’. I Reis 16:34.”

“Não muito distante de Jericó, em meio de bosques frutíferos, estava uma das escolas dos profetas; e para lá se dirigiu Eliseu após a ascensão de Elias. Durante sua estada entre eles, os homens da cidade vieram ao profeta, e disseram: "Eis que boa é a habitação desta cidade, como o meu senhor vê; porém as águas são más, e a terra é estéril" 2 Reis 2:19. A fonte que nos anos anteriores tinha sido pura e vivificante, e havia contribuído grandemente para suprir a cidade e os seus arredores com água, era agora imprópria para uso.”




Jericó era uma bela cidade, entretanto, seu povo era infeliz em virtude da mã qualidade das águas pois eram: “águas que não prestavam e provocavam abortos”2 Reis 2:19.

Ocorre assim em nossos dias também: devido a pecados cometidos e à maldição da lei enveredamos por caminhos de ressentimento e busca de justiça por aqueles que nos magoam ou cometem alguma suposta "injustiça" contra nós. As obras da carne que o apóstolo Paulo nos adverte: “adultério, prostituição, impureza, lascívia,Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e demais coisas semelhantes a essas” Gálatas 5:20-21, nos arremessam para o mar das águas amargas do pecado não justificado. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. Gálatas 5:22-23. Mas como poderemos aplacar os sentimentos que as obras da carne geram e que acabam por deixar nossa vida amarga e pesarosa. Deus deu uma estratégia para Eliseu: “—Ponham um pouco de sal num prato novo e tragam para mim. Eles levaram, e Eliseu foi até a fonte, jogou o sal na água e disse: — O que o SENHOR Deus diz é isto: ‘Eu fiz esta água ficar pura, e ela não provocará mais mortes nem abortos. E aquela água ficou pura até hoje, como Eliseu disse que ia ficar.’” 2 Reis 2: 20-22. Queridos prato novo é um lugar novo para se comer. Um lugar preparado para degustar um manjar, algo nunca antes degustado, uma novidade.E prato é colocado na mesa (vide mensagem anterior - Os dois discípulos no caminho de Emaús - penúltimo parágrafo). E que novidade a ser degustada Deus mandou Eliseu colocar no prato: sal. Falta de sal deixa as coisas incípidas: sem sabor. Porém uma comida com sal na quantidade certa e bem temperada é algo muito apetitoso. O sal acompanando a oferta era uma ordenança de Deus: “E todas as tuas ofertas dos teus alimentos temperarás com sal; e não deixarás faltar à tua oferta de alimentos o sal da aliança do teu Deus; em todas as tuas ofertas oferecerás sal.” Levítico 2:13

Sal torna o alimento gostoso assim também as nossas palavras devem ter sal na quantidade certa e ser assim nossa palavra: bem temperada. “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um.” Colossenses 4:6



Em agronomia sabemos que certos sais são bons e na quantidade certa levam condições para as plantas crescerem saudáveis na terra através de um correto balanço de nutrientes. O homem também deve ingerir sal em certa quantidade para complementar a dieta de sais minerais para suprir as necessidades de seu organismo.

A contatação feita por Jesús para aqueles que o seguiam, os seus discípulos, foi: “Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? “ Mateus 5:13a

Todo aquele que crê na obra redentora de Jesus e é cheio do Espírito Santo e os frutos do Espírito sendo capacitado pelo Senhor a fazer a diferença: “Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim.” João 15:4 . O discípulo, imitador de Jesús, que é o sal do mundo e estando firmado na videira que é Cristo e munido da boa palavra de Deus ao ser lançando na fonte de águas amargas que às vezes surge na vida faz a diferença em Jesús e torna a fonte das águas pura e renovada. Assim todo aquele que crê em Jesus pode e deve fazer a diferença nos lugares onde pisa sendo sal do mundo e luz para os gentios.




“Bom é o sal; ... Tende sal em vós mesmos, e paz uns com os outros.” Marcos 9:50

domingo, 21 de novembro de 2010

Os dois discípulos



no caminho de Emaús



“E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús.

E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido.

E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles.

Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem.

E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes?

E, respondendo um, cujo nome era Cléopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém, e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias?

E ele lhes perguntou: Quais? E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus Nazareno, que foi homem profeta, poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo;

E como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte, e o crucificaram.

E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram.

É verdade que também algumas mulheres dentre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro;

E, não achando o seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que ele vive.

E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro, e acharam ser assim como as mulheres haviam dito; porém, a ele não o viram.

E ele lhes disse: O néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!

Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória?

E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.

E chegaram à aldeia para onde iam, e ele fez como quem ia para mais longe.

E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles.

E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o, e lho deu.

Abriram-se-lhes então os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes.“

Lucas 24:14-31



    Lucas relata que dois discípulos sairam da cidade de Jerusalém e seguiam para a aldeia de Emaús. Sairam de Jerusalém, a cidade da Paz, ou seja abndonaram o local onde permanece a paz. E se dirigiram para a aldeia de Emaús, que quer dizer “lugar de conselho”. Haviam perdido a paz e que perde a paz deve fazer exatamente isso: buscar conselho. Os discípulos empreenderam essa caminhada não sozinhos mas apoiando um ao outro como o proprio Jesús aconselhava que os seus discípulos fossem: “e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir.” Lucas 10:1. Eles estavam caminhando e falando de tudo o que havia sucedido, e fazendo-se muitas perguntas.   
    Nesse momento durante essa caminhada quando a tristeza, as dúvidas e tentações surgiram o próprio Jesús apresentou-se a eles. Porém eles estavam tão concentrados nos seus próprios problemas que não reconheceram a Jesus pois “os seus olhos estavam como que fechados” Lucas 24:16a. Havia lhes fugido o entendimento estavam como que cegos pois criam que a luz do mundo lhes havia sido roubada. Se esqueceram da promessa de Jesus “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. João 8:12 Porém a promessa de Jesús era também que Ele estaria com seus discípulos quando eles estivessem reunidos em seu nome: “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Mateus 18:20 Então Jesús lhes pergunta que palavras eram essas que eles, ao caminhar, estam trocando e porque eles estavam tristes. Então eles expuseram que esperavam que Jesus fosse aquele que remisse a Israel do julgo Romano. Eles limitaram a obra de Deus e seu plano para o povo de Israel e para todo aquele que nele crê. Olharam pelos olhos da racionalidade humana e do momento em que viviam crendo que o reinado do cristo seria deste mundo e ele viria para libertar Israel de um julgo deste mundo: o julgo romano. Porém Deus tinha um plano de redenção muito maior: ibertar aquele que crê do julgo da lei e do pecado. Pois Cristo tomou o nosso lugar de pecador, sendo ele sem pecado, para subjulgar o salário do pecado que é a morte e fazernos reinar em vida. Nós que estavamos cheios de pecado, ao aceitá-lo, fomos alçados com ele para o reino de Deus e libertos do pecado: pois ele já se havia tomado o nosso lugar na cruz e quebrado o aguilhão do pecado: a morte e a vitória que antes seria do inferno.

     Então vendo a incredulidade dos apóstolos Jesús admoesta-os e chama-os de “nécios e tardos de coração”. Nécios, que quer dizer estúpidos: por não compreenderem que tudo o que os profetas anunciaram havia se cumprido em Cristo. Eles haviam ouvido os rabinos pregarem a palavra e a haviam estudado exaustivamente. Viram o verbo que se fez carne cheio de sabedoria e de verdade. Viram os seus milagres e maravilhas: viram o cego ver, o surdo ouvir, o coxo andar, os mortos resuscitarem, os pães e peixes se multiplicarem. E se maravilharam com os sinais de sua autoridade: pois o vento cessava a sua ordem e até o mar lhe obedecia e se acalmava. Porém não creram apesar de estudarem tanto as escrituras. Tardos de coração porque apesar de estudarem a palavra, de terem visto o seu cumprimento no próprio verbo que se fez carne: Jesús Cristo, não conseguiram crer em seu poder e suas promessas. Então o próprio Jesús começou a explicar-lhes as escrituras começando por Moisés e todos os profetas, e do que dele estava escrito. E começou-lhes a arder o coração, porém nem mesmo assim conseguiram reconhecer o mestre.
     E quando chegaram à aldeia de Emaús Jesús fez como quem ia para mais longe porém eles insisistiram-lhe muito para que ficasse com eles. E ao se assentarem à mesa com Jesus, tomou o pão, deu graças, partiu-o e o deu a eles. E somente no partir do pão reconheceram o mestre. (grifo nosso)
Podemos aprender que somente Jesus pode nos abrir o entendimento para crer nele, aqueles que ele escolheu pois Ele mesmo disse: ”Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi” João 15:16a. E também ele mesmo nos advertiu para não sejamos incrédulos, mas crentes ao não precisar vê-lo para crer nele.
    Então chegaram ao lugar de conselho, Emaús, ao estarem no final do caminho. E lhes ardiam os corações e cheios de compaixão tiveram oportunidade de convidarem-o para cear com eles.E Jesús estava com eles à mesa, mesa é um lugar de comunhão e vitória: “Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos”Salmo 23:5a. Sendo que mesa é um morro achatado que tem pastos ternos e para onde os pastores levam as ovelhas durante o verão em Israel.

   Logo Jesús “tomou o pão, e o abençoou e no partiu-o e lho deu” e somente alí os olhos se lhes abriram e o reconheceram. Somente ao dividir e compartilhar do seu amor e entrega por nós, a santa ceia, que nos remete á cruz e seu sublime sacrifício. E que nos trouxe a vitória definitiva é que podemos reconhecer o bom pastor e seu amor. Foi naquele lugar alto do Gólgota onde Jesús entregou o seu corpo: a sua carne, o pão que desceu dos céus por nós. Quem recebe a Jesús e o convida a entrar e cear com ele e desfruta da intimidade com ele pode, somente então, reconhecê-lo e compreendê-lo como verdadeiramente ele é.


“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” Isaías 9:6

“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador.” João 10:1

“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas.” João 10:11

“Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas.” João 10:2

“E disse-lhes Jesus: Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão.” Marcos 14:27

domingo, 14 de novembro de 2010

Lançai

A rede

“E viu estar dois barcos junto à praia do lago; e os pescadores, havendo descido deles, estavam lavando as redes.E, entrando num dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão.E, quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar.E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, sobre a tua palavra, lançarei a rede.E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede.E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram, e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique.E vendo isto Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, que sou um homem pecador.Pois que o espanto se apoderara dele, e de todos os que com ele estavam, por causa da pesca de peixe que haviam feito.E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.E, levando os barcos para terra, deixaram tudo, e o seguiram..” Lucas 5:2-11.


 


Jesus chamou primeiramente a dois irmãos Pedro e André, que lançavam a rede, e depois a Tiago e seu irmão João, que estavam consertando as redes. Todos os quatro eram pescadores. Ele não procurou a sábios, ricos ou fortes... não procurou pessoas que pudessem entender a sua mensagem e nem pediu o currículo delas. Ele “O Verbo que se fez carne” ensinou a palavra de Deus cheio de sabedoria e de verdade. E após o ensino mandou aqueles homens jogar a rede. Ele testificou da palavra que diz: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.“ Mateus 6:33 Aqueles homens obedeceram e tiveram suas necessidades supridas mais que abundantemente pois tiveram que chamar outro barco e ainda assim quase iam a pique tamanha foi a abundância de peixes.

Naquele momento Jesus buscou apenas homens que estavam ocupados trabalhando. Lançou um convite: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” e esses homens seguiram a Jesus. Reconheceram a autoridade que emanava do Filho de Deus. Mas isso não é de admirar pois depois o próprio João iria escrever o que o Messias disse: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem;” João 10:27 Que voz maravilhosa ...tão cheia de sabedoria e autoridade. Uma voz que não nos diz aquilo que queremos ouvir mas aquilo que precisamos ouvir, porém de uma maneira única: cheia de uma amor sublime.

Aqueles homens não titubearam: ouviram a voz do mestre e o seguiram. Deixaram trabalho e seu ganha pão para se alimentar do verdadeiro Pão que sacia a fome: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.” João 6:51 Deixaram de pescar peixes para aprender a pescar homens para o Reino de Deus. Afinal quem convidava era o próprio Filho de Deus. Ele falava com autoridade. Até mesmo os servidores dos principais dos sacerdotes e fariseus, aqueles que entregaram Jesus, se admiraram de como Ele falava:” Nunca homem algum falou assim como este homem.”João 7:46 Mas queridos Ele não precisava nem falar a Sua presença, a presença do Deus Vivo constrangia corações. Mas isso Deus não o revelou a príncipes “Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.” Porém após a sua morte e ressureição e após ter se apresentado aos seus discípulos duas vezes e a Tomé, então apresentou-se outra vez a sete: a Simão Pedro, Tomé, Thiago, João e mais dois discípulos. E apresentou-se assim:




“Estavam juntos Simão Pedro, e Tomé, chamado Dídimo, e Natanael, que era de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu, e outros dois dos seus discípulos.
Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Dizem-lhe eles: Também nós vamos contigo. Foram, e subiram logo para o barco, e naquela noite nada apanharam.
E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus.
Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, tendes alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não.
E ele lhes disse: Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes.
Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar.
E os outros discípulos foram com o barco (porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados), levando a rede cheia de peixes.” João 21:2-8



Que maravilha!!! Após uma pesca infrutífera que durou toda uma noite e que não produziu frutos Jesus se apresenta na praia. Aqueles homens estavam superando a morte de Jesus pois por duas vezes Jesus já se havia apresentado a eles. O pentecostes já havia ocorrido e aqueles homens já estavam cheios do Espírito Santo. Porém voltaram a fazer o que eles sabiam fazer ou criam saber: pescar. Voltaram à sua velha atividade, deixaram o sonho de Deus para suas vidas, jogaram a toalha e foram tratar de seu ganha pão. Porém naquela noite nada pescaram talvez porque a pesca que Deus verdadeiramente queria que eles fizessem não fosse aquela. Porém Jesus em sua infinita misericórdia apresentou-se a eles na praia. Agora eles já não o reconheceram mas lhe obedeceram ao lhes pedir que lançassem novamente a rede. E eles a lançaram: e tiveram uma pesca superabundante.

Sabe querido(a) Deus está falando conosco agora e nos pergunta. O que está limitando a tua pescaria? Creio que somente você não obedecê-lo quando ele mandar lançar a rede. E que rede é essa? A rede da racionalidade, do contar, do querer entender as coisas que Deus faz, de querer controlar, de quere subjulgar. Não faça como Daví que contou o povo. Apenas creia e lance a rede pois a pesca certamente será superabundante. Se é Ele que mandou lançar a rede: LANCE-A ... E JÁ!!! Obedecer é melhor que sacrificar. E querido(a) certamente Ele já te está esperando na praia. Para você desfrutar a Sua presença e ver TODAS as tuas necessidade supridas. Pois a sua Palavra é verdadeira e dura para sempre e Ele tem cuidado de nós não como servos más como verdadeiros filhos, a todos aqueles que creram Nele.
Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;” João 1:12




"Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.” João 15:15

domingo, 7 de novembro de 2010

Bem


Aventurado 


Bem-aventurado o homem que continuamente teme; mas o que endurece o seu coração cairá no mal. Provérbios 28:14


Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada. Provérbios 8:34



Bem-aventurado o homem que fizer isto, e o filho do homem que lançar mão disto; que se guarda de profanar o sábado, e guarda a sua mão de fazer algum mal. Isaías 56:2



Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos. Apocalipse 20:6



Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta. Salmos 127:5



É árvore de vida para os que dela tomam, e são bem-aventurados todos os que a retêm. Provérbios 3:18



Bem-aventurado tu, ó Israel! Quem é como tu? Um povo salvo pelo SENHOR, o escudo do teu socorro, e a espada da tua majestade; por isso os teus inimigos te serão sujeitos, e tu pisarás sobre as suas alturas. Deuteronômio 33:29



Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados. Salmos 84:5



Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse é bem-aventurado. Provérbios 29:18



Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. Romanos 14:22



Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. Tiago 1:12



Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas. Apocalipse 16:15



Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. Apocalipse 1:3



O que atenta prudentemente para o assunto achará o bem, e o que confia no SENHOR será bem-aventurado. Provérbios 16:20



Louvai ao SENHOR. Bem-aventurado o homem que teme ao SENHOR, que em seus mandamentos tem grande prazer. Salmos 112:1

Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, e cuja esperança está posta no SENHOR seu Deus. Salmos 146:5


Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Salmos 1:1



Bem-aventurado o homem que põe no SENHOR a sua confiança, e que não respeita os soberbos nem os que se desviam para a mentira. Salmos 40:4


Bem-aventurado aquele a quem tu escolhes, e fazes chegar a ti, para que habite em teus átrios; nós seremos fartos da bondade da tua casa e do teu santo templo. Salmos 65:4



Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito. Tiago 1:25

 

O que despreza ao seu próximo peca, mas o que se compadece dos humildes é bem-aventurado. Provérbios 14:21



Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram. João 20:29






Bem : O que é bom, lícito e recomendável.  Benefícios.  A pessoa amada.
Aventurado : Que se aventurou; ousado

Bem-aventuradoFelicidade perfeita.  Ditoso; feliz.



O sermão da montanha

Eles tinham vindo para ouvir Jesus e para serem curados das suas doenças. Os que estavam atormentados por espíritos maus também vieram e foram curados.
Todos queriam tocar em Jesus porque dele saía um poder que curava todas as pessoas.
Jesus olhou para os seus discípulos e disse:

—Felizes são vocês, os pobres, pois o Reino de Deus é de vocês.

—Felizes são vocês que agora têm fome, pois vão ter fartura. —Felizes são vocês que agora choram, pois vão rir.
—Felizes são vocês quando os odiarem, rejeitarem, insultarem e disserem que vocês são maus por serem seguidores do Filho do Homem.
Fiquem felizes e muito alegres quando isso acontecer, pois uma grande recompensa está guardada no céu para vocês. Pois os antepassados dessas pessoas fizeram essas mesmas coisas com os profetas.




Ouse crer



Para crer em Jesus temos que nos fazer como crianças. A criança tem um coração disposto a aprender, a viver e a se entregar. Jesus cita as bem-aventuranças dos pobres porque deles é o Reino dos Céus, os que tem fome e sede de justiça pois terão fartura e dos que choram porque serão consolados. Felizes seremos quando nos odiarem, rejeitarem, insultarem e disserem somos maus por sermos seguidores de Jesus. Quando estamos fracos aí sim estamos fortes pois a nossa força vem de Deus. Na dependência Dele e na busca pelo Eterno aprendemos mais dele e podemos ver o seu cuidado e amor Dele para conosco. “Porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” 2 Corintos 12:9a Quando temos uma necessidade podemos buscar a Jesus o Bom Pastor que cuida de suas ovelhas e pedir-lhe. As pessoas vêm para ouvir a Jesus e para serem curadas das suas doenças até hoje. Quando o buscamos e lhe pedimos Ele se manifesta a nós. Isaías profetizou Dele: “A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega; com verdade trará justiça.” Isaías 42:3 Ele nunca rejeitou a alguém que o buscou com sinceridade mesmo que no final de suas forças. Busque-o com entrega, busque-o com um clamor, busque-o com amor e fé. De todo coração, de toda alma e de todo entendimento e nessa ordem. E se você crê não possuir fé peça a Deus que Ele dá fé a aquele que lhe pede. Faça como Pedro quando estava no barco e parecia que iam padecer, Jesus se apresenta e diz para não temerem. E Pedro pede ao Mestre que ordene para que ele possa ir e ande sobre as águas. Se pedimos ao mestre com fé algo que seja conforme a Sua vontade ele certamente nos dará. Porque Ele sabe dar boas coisas a seus filhos. E quando pedimos ao Pai “em Nome de Jesus” e usamos essa procuração, esse testamento que como herdeiros da promessa: do Cristo ressurreto Ele nos deixou podemos contemplar pelos olhos da fé as suas promessas. Buscando os frutos e os dons do Espírito Santo e os sinais que Ele manifesta pois Ele é um Deus de sinais e prodígios. Aí sim poderemos ver Jesus andando sobre as águas do mar e descansar Nele: das situações adversas, do mar das impossibilidades, das trevas, dos gigantes e Golias que desafiam não a nós mas verdadeiramete ao nosso Pai. Nessa hora quando estamos humildes como crianças mas cheios de ousadia como Kalebe podemos ver o Pai indo a nossa frente abrindo o mar, fazendo o Jordão recuar, fazendo o sol recuar pela escadaria, as muralhas de Jericó caírem, as águas vivas brotando da rocha, os Golias caírem, podemos nos ver como Ester na presença do rei e Ele estendendo o cetro para nós. Deus é um Deus zeloso para com os seus. Quando pedimos a ajuda Dele ele verdadeiramente começa a operar em nossa causa. E quando cremos na plenitude de Sua palavra e que Ele nos deu: “poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.” Lucas 10:19. Aí então podemos nos alegrar porque a vitória é certa Nele.



“E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário; Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, andando por cima do mar. E os discípulos, vendo-o andando sobre o mar, assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram com medo.Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu, não temais. E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas.E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste?” Mateus 24-29