A Paz do Senhor Jesus!

A Paz do Senhor Jesus! Seja bem vindo. Assista nossos vídeos:



Loading...

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O dia que o Senhor fez!

Alegramos-no e adoremos!

Que lindo é poder te adorar Senhor e poder te conhecer. No dia de hoje quando muitos festejam coisas que não são para serem festejadas eu te festejo e te adoro. Somente tu es digno de todo louvor e adoração. O meu coração exulta em ti. O gozo flui pelas minhas veias quando sinto o teu espírito se derramar em mim.

Ah se o mundo soubesse...Não há gozo maior, não há barato maior, não há onda maior, não poder maior, não há presença maior, não há amor maior do que saber que um dia tu morreste por amor a mim. Um dia quando estava perdido e tu me chamaste. A tua voz era suave e chegastes como um cavalheiro. Não te apresastes tivestes toda a paciência comigo. Me tomastes pela mão e me dissestes:”Eu te ajudo”. Me capacitastes e me preparastes caminho. Me convidastes a sonhar e realizastes todos os meus sonhos. Ahhh... que lindo é poder descansar aos teus pés.

As lágrimas escorrem pelo meu rostro. Sinto o teu consolo e teu toque. Tu enchugas toda lágrima a rolar. Em ti tenho paz. Essa paz maior que não depende de circunstâncias. Cada dia me surpreendo contigo ao ouvir a tua voz. Tu es real!!! Não és um conto ou uma fábula mas eres mais real que as letras deste texto que escrevo.

Ahhh ... se o mundo te conhecesse mas os seus olhos agora estão como que fechados. Desperta-os Senhor e faz que se abram e te chamem a entrar pela porta do seu coração como um dia eu também te chamei. O teu amor é irresistível! A tua voz seja mansa e suave. Tua voz que penetra no fundo da alma.

Que estas palavras sejam levadas pelo vento do teu espírito. Que o azeite de tua unção nos cure e o fogo do teu espírito nos aqueça o coração. Trabalha nossa alma. Muda nosso entendimento. Dâ-nos um coração adorador! Porque queremos apenas te louvar e fazer toda a tua vontade! Têm misericordia de nós Senhor!

Imperdível louvor no YouTUBE: http://www.youtube.com/watch?v=hNsNjvGGMpA&feature=related










domingo, 30 de outubro de 2011

Quem escreveu as leis da natureza?

"Talvez o mais popular e intuitivamente plausível argumento pela existência de Deus é o assim chamado argumento do desígnio. De acordo com ele, o desígnio que se vê na natureza sugere a existência de um Planejador cósmico. Tenho freqüentemente dito que esse é de fato um argumento "da ordem para o desígnio", porque tais argumentos procedem da ordem percebida na natureza para mostrar a evidência de um plano e, assim, de um Planejador.

Embora eu já tenha sido um ferrenho crítico do argumento do desígnio, passei a ver que, quando corretamente formulado, ele constitui uma defesa persuasiva da existência de Deus. Avanços em duas áreas em particular levaram-me a essa conclusão. A primeira é a questão da origem das leis da natureza e as idéias, a isso relacionadas, de importantes cientistas modernos. A segunda é a questão da origem da vida e a reprodução. O que quero dizer quando falo das leis da natureza? Por "lei", eu me refiro à regularidade ou simetria na natureza. Alguns exemplos, tirados de livros didáticos, podem ilustrar o que digo: A lei de Boyle estipula que, dada uma temperatura constante, o produto do volume e da pressão de uma quantidade fixa de um gás ideal é constante.

De acordo com a primeira lei do movimento de Newton, um objeto em repouso permanecerá em repouso a menos que uma força externa atue sobre ele, e um objeto em movimento permanecerá em movimento a menos que uma força externa atue sobre ele.

De acordo com a lei de conservação da energia, a quantidade total de energia em um sistema isolado permanece constante. O mais importante não é o fato de haver essas regularidades na natureza, mas sim que elas são matematicamente precisas, universais e interligadas. Einstein referiu-se a elas como "a razão encarnada". O que devemos perguntar é o que fez a natureza surgir do jeito que é. Essa, sem dúvida, é a pergunta que os cientistas, de Newton a Einstein e a Heisenberg, fizeram e para a qual encontraram a resposta. Essa resposta foi: a Mente de Deus.

Esse modo de pensar não é encontrado apenas nos conhecidos cientistas teístas pré-modernos, como Isaac Newton e James Maxwell. Pelo contrário, muitos importantes cientistas da era moderna consideram as leis da natureza pensamentos da Mente de Deus. Stephen Hawking termina seu best seller Uma breve história do tempo com a seguinte passagem: ‘ Se descobrirmos uma teoria completa, ela terá de ser compreendida por todas as pessoas, não apenas por alguns cientistas. Então nós todos, filósofos, cientistas e pessoas comuns, devemos ser capazes de participar da discussão sobre o motivo de nós e o universo existirmos. Se encontrarmos a resposta, esse será o supremo triunfo da razão humana, porque, então, conheceremos a mente de Deus.’

Mesmo que haja uma única, unificada teoria, ela será apenas um conjunto de regras e equações. Pergunto: o que dá vida às equações e cria um universo para que elas o descrevam?

Hawking disse mais sobre isso em entrevistas posteriores. "O que causa maior impressão é a ordem. Quanto mais descobrimos sobre o universo, mais vemos que ele é governado por leis racionais." "E uma pergunta continua: por que o universo dá-se ao trabalho de existir? Se quiserem, vocês podem definir Deus como a
resposta para essa pergunta."

Einstein expressamente negava ser ateísta ou panteísta: Não sou ateísta, e não acho que posso me chamar de panteísta. Estamos na situação de uma criança que entra em uma enorme biblioteca cheia de livros escritos em muitas línguas. A criança sabe que alguém escrevera aqueles livros, mas não sabe como. Não entende os idiomas nos quais eles foram escritos. Suspeita vagamente que os livros estão arranjados em uma ordem misteriosa, que ela não compreende. Isso, me parece, é a atitude dos seres humanos, até dos mais inteligentes, em relação a Deus. Vemos o universo maravilhosamente arranjado e obedecendo a certas leis, mas compreendemos essas leis apenas vagamente. Nossa mente limitada capta a força misteriosa que move as constelações. (Grifo acrescentado.)

Einstein sustentava que Deus se manifesta "nas leis do universo como um espírito

infinitamente superior ao espírito do homem, diante do qual nós, com nossos modestos poderes, devemos nos sentir humildes". Einstein concordava com Spinoza na idéia de que quem conhece a natureza conhece Deus, não porque a natureza seja Deus, mas porque a busca da ciência, estudando a natureza, leva à religião."

Fonte: FLEW, Antony com BARGHESE, Abraham. Um ateo garante: Deus existe. As provas incontestáveis de um filósofo que não acreditava em nada. O original: How the world's most notorious atheist changed his

mind. Editora Ediouro, Rio de Janeiro, 2008.

sábado, 29 de outubro de 2011

Ao terceiro dia

“Os filisteus, pois, tomaram a arca de Deus e a trouxeram de Ebenézer a Asdode.

Tomaram os filisteus a arca de Deus, e a colocaram na casa de Dagom, e a puseram junto a Dagom.

Levantando-se, porém, de madrugada no dia seguinte, os de Asdode, eis que Dagom estava caído com o rosto em terra, diante da arca do SENHOR; e tomaram a Dagom, e tornaram a pô-lo no seu lugar.

E, levantando-se de madrugada, no dia seguinte, pela manhã, eis que Dagom jazia caído com o rosto em terra diante da arca do SENHOR; e a cabeça de Dagom e ambas as palmas das suas mãos estavam cortadas sobre o limiar; somente o tronco ficou a Dagom.

Por isso nem os sacerdotes de Dagom, nem nenhum de todos os que entram na casa de Dagom pisam o limiar de Dagom em Asdode, até ao dia de hoje.

Porém a mão do SENHOR se agravou sobre os de Asdode, e os assolou; e os feriu com hemorróidas, em Asdode e nos seus termos.

Vendo então os homens de Asdode que assim foi, disseram: Não fique conosco a arca do Deus de Israel; pois a sua mão é dura sobre nós, e sobre Dagom, nosso deus.

Por isso enviaram mensageiros e congregaram a si todos os príncipes dos filisteus, e disseram: Que faremos nós da arca do Deus de Israel? E responderam: a arca do Deus de Israel será levada até Gate. Assim levaram para lá a arca do Deus de Israel.

E sucedeu que, assim que a levaram, a mão do SENHOR veio contra aquela cidade, com mui grande vexame; pois feriu aos homens daquela cidade, desde o pequeno até ao grande; e tinham hemorróidas nas partes íntimas.

Então enviaram a arca de Deus a Ecrom. Sucedeu, porém, que, vindo a arca de Deus a Ecrom, os de Ecrom exclamaram, dizendo: Transportaram para nós a arca do Deus de Israel, para nos matarem, a nós e ao nosso povo.

E enviaram, e congregaram a todos os príncipes dos filisteus, e disseram: Enviai a arca do Deus de Israel, e torne para o seu lugar, para que não mate nem a nós nem ao nosso povo. Porque havia mortal vexame em toda a cidade, e a mão de Deus muito se agravara ali.

E os homens que não morriam eram tão atacados com hemorróidas que o clamor da cidade subia até o céu. “ I Samuel 5:1-12


O povo de Deus havia pecado. Os filisteus ganharam a batalha e levaram a arca da aliança da cidade judia de Ebenézer, que quer dizer pedra de ajuda para a cidade inimiga de Asdode cujo nome significa fortaleza. Não havia maior castigo e derrota para o povo judeu que ter a sua arca da Aliança com Deus roubada. Sem a arca parecia que o pacto de vida havia sido quebrado e a derrota e morte reinariam em seu lugar. Porem Deus tinha um outro plano. Deus queria mostrar que a vitória de seu povo não vinha pelo que ele fizesse ou deixasse de fazer.. Não dependia de suas habilidades de guerra ou zelo. Porque naquilo que eles falhassem o Pai em sua infinita misericórdia supriria.

A arca da aliança foi levada no primeiro dia para a cidade e foi colocada no templo de Dagom de frente para este. No segundo dia Dagom apareceu com o rosto em terra diante da arca. Os filisteus levantaram a Dagom e o recolocaram de frente para a arca. No terceiro dia Dagom aparece com o rosto em terra e a cabeça e mãos cortadas. Entendemos assim que o tereceiro dia chega e o pai de Baal é colocado por terra e tem suas mãos e cabeça dissepadas. Ai daqueles que são cabeça e mãos do pai de Baal!


O pânico se instala e os inimigos do povo de Deus fazem passar a arca da Aliança de cidade em cidade. Após a cidade de Asdode a arca vai para Gate e por último Ecrom. Interessante notarmos que Asdode sigifica fortaleza, Gate significa lagar e Ecrom significa extirpação. Notamos que Deus primeiro confunde a fortaleza inimiga: a sua força, sua robustez e aquilo em que ele se vangloriava . Depois o tratamento de Deus é no lagar, a cidade onde as azeitonas e uvas são esmagadas para fazer azeite ou vinho, e a cidade é confundida. Por último vão para a cidade de extirpação onde o mal é arrancado com raiz e tudo. Por onde quer que a Arca da Aliança passe as doenças atacam os inimigos de Deus. Por fim os filisteus para aplacar a ira do Deus de Israel resolvem mandar de volta para eles a arca. Porém a arca não vai sozinha no carro puxado apenas por bois mas vai carregada de ouro e no formato das doenças que atacavam o inimigo numa tentativa de aplacar a ira de Deus.

Os filisteus roubaram a arca da aliança numa tentativa de retirar a benção de Deus de sobre os judeus e amaldiçoa-los deixando-os também sem identidade. Porém Deus pelejou contra os inimigos de Israel, restituiu a arca e ainda os abençoou através dos inimigos com ouro.

Assim também quando os inimigos entulhavam os poços de Jacó Deus lhe dava um poço maior e melhor e assim ele era abençoado. No terceiro poço cavado os inimigos desistiram de entulha-lo e ele obteve vitória pelo que se chamou aquele poço de Reobote que quer dizer espaços largos(Gênesis 26:22). Não adianta o inimigo pelejar, naquilo que ele mais quer te roubar é que Deus vai te restituir e Deus irá glorificar o Seu nome. Isso para que a honra seja somente dele.

Assim também foi com José que foi vendido por seus irmãos como escravo (Gênesis 37:28). Mais tarde os seus irmãos e seu pai tiveram que se ajoelhar a seus seus pés com o rosto em terra como servos do administrador do maior império da época: o império Egipcio que José se tornara (Gênesis 42:6).

Foi assim com o povo judeu que foi escravizado no Egito. Depois do tempo de Deus os egípcios os deixaram ir lhes deram jóias de ouro, jóias de prata, roupas, e muitos animais antes de partirem (Êxodo 12:35 e 38).

Assim também foi com Jesus antes de sua crucificação. Um de seus discípulos o havia traído pelo preço de um escravo. Outro o negou três vezes e o restante dos discípulos fugira. O povo que antes o aclamava na entrada de Jerusalém agora clamava por sua morte diante de Poncio Pilatos. Todos o abandonaram. A maior derrota do povo judeu havia aparentemente chegado. O messias, o salvador que havia curado as mazelas da alma e do corpo de tantos era condenado a morte pelos mesmos que antes salvara. A degradação moral e a rebelião contra Deus tomava forma no maior revolta contra o criador: a morte de seu filho. Aquele gesto foi o maior altar pagão, símbolo de idolatria e a maior abominação a Deus já concebida pelo povo de Israel. Na terceira hora da tarde, a hora nona do dia, quando Jesús entregou a sua alma no Gólgota, a pedreira desativada com suas pedras que os edificadores rejeitaram se fenderam, o céu se escureceu e o véu do templo se rasgou de alto a baixo.


Porém este não era o fim da história mas sim o começo dela. Passaram-se três dias desde sua morte. Quando parecia que tudo havia acabado e que o sonho havia terminado Deus tinha outro desfecho. Todos os discípulos estavam tristes mas o que ninguém se lembrava era que Ele havia se entregado em obediência à vontade do Pai. Deus apresentou ao seu Filho a Sua vontade e este a abraçou. Porém a sepultura não poderia deter o mestre da vida. Ao terceiro dia a lei foi cumprida e o novo templo foi erguido. Não era um templo levantado por mãos humanas como o 2º templo da lei de Jerusalém, mas este foi erguido pela mão de Deus. A pedra angular que os edificadores rejeitaram assumia o seu lugar. Este templo já não poderia mais ser destruído pois fora glorificado pelo alto. O terceiro templo, Jesus de Nazaré, foi erguido ao terceiro dia e aniquilou a vitória da morte e o aguilhão do inferno. Assim também nós cristãos fomos resuscitados e reerguidos em cristo da aparente vitória da morte para uma inabalável Nova Vida em vida.

"Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei." João 2:19










quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Uma história do irmão Yun

"Não são os grandes homens que transformam o mundo, mas sim os fracos, nas mãos de um grande Deus"

A China clama por bíblias

O livro “O Homem do céu” é a história real do Irmão Yun. Este homem simples, que nasceu em uma vila rural da China, teve um encontro com Jesus depois que seu pai foi curado milagrosamente de um câncer. Yun entregou sua vida ao Senhor e se dedicou a servi-lo com todas as suas forças, vindo a tornar-se anos mais tarde um dos líderes da igreja doméstica Chinesa. Abaixo coletamos um trecho do livro que mostra a luta de Yun no início do ministério e o seu clamor ao Senhor por uma bíblia. Nos dias atuais apesar dos múltiplos esforços e avanços em disseminar o evangelho, a China apresenta, ainda hoje, uma carência e necessidade muito grande por bíblias. Vejamos o trecho do livro:

“A princípio, eu não sabia exatamente quem era Jesus, mas tinha visto que ele curara meu pai e libertara minha família. Em confiança, entreguei-me ao Deus que curara meu pai e nos salvara. Perguntava freqüentemente à minha mãe quem era Jesus.
Ela me dizia:
‘É o Filho de Deus, que morreu por nós na cruz, levando todos os nossos pecados e doenças. Tudo que ele ensinou está escrito na Bíblia.’
Perguntei se havia sobrado alguma dessas palavras de Jesus para eu ler. Ela respondeu:
‘Não. Acabaram todas. Não sobrou nada dos ensinamentos dele.’
Isso aconteceu durante a Revolução Cultural, quando não havia Bíblias na China.
Desde o dia dessa conversa, passei a desejar intensamente possuir uma Bíblia. Perguntei à minha mãe e a alguns cristãos como era uma Bíblia, mas ninguém sabia. Uma pessoa havia visto porções dela copiadas à mão e folhas com hinos, mas ninguém vira uma inteira. Apenas os mais velhos se lembravam de terem visto, muitos anos antes, exemplares dela. A Palavra de Deus era algo raro naquela terra.
Eu sentia fome da Bíblia. Vendo meu desespero, minha mãe se lembrou de um homem já idoso que vivia em outra vila. Antes da Revolução Cultural, ele fora pastor.
Percorremos juntos o longo caminho que levava à casa dele. Assim que o encontramos, falamos o que desejávamos:
- Nós queremos ver uma Bíblia. O senhor tem uma?
Imediatamente ele se mostrou amedrontado. Havia passado quase 20 anos preso por causa da fé. Reparou em mim e viu que eu era muito jovem, pobre, de roupas esfarrapadas e pés descalços. Sentiu pena, mas nem assim atendeu o meu pedido. Eu não o culpo por sua atitude. Naquela época, havia pouquíssimas Bíblias na
China. Ninguém tinha permissão para ler outro livro além do pequeno livro vermelho de Mao. Se alguém o pegasse com uma Bíblia, ela seria queimada e ele e sua família, espancados com crueldade no meio da vila.
Aquele senhor idoso me disse apenas isto:
‘A Bíblia é um livro celestial. Se você quiser uma, vai ter de orar ao Deus do céu. Só ele pode lhe dar uma. Deus é fiel. Sempre responde aos que o buscam de todo o coração.’
Acreditei totalmente nas palavras do pastor.
Enquanto voltávamos para casa, peguei uma pedra e a levei para o meu quarto. Toda noite me ajoelhava nela para orar. Era uma prece simples: ‘Senhor, por favor, me dá uma Bíblia. Amém.’
Eu ainda não sabia orar, mas continuei, por mais de um mês. Não aconteceu nada. Não apareceu nenhuma Bíblia.
Voltei à casa do pastor; dessa vez, sozinho. Falei para ele:
- Orei a Deus, como o senhor disse, mas ainda não recebi a Bíblia que tanto quero.
Por favor, por favor, mostre a sua para mim. Vou dar só uma olhadinha e pronto! Nem preciso tocar nela. O senhor segura, e eu vou ficar feliz só de olhar. Se o senhor deixar, eu copio algumas palavras e volto feliz para a minha casa.
Ele, percebendo a ansiedade do meu coração, me aconselhou de novo:
- Se você está falando sério, então, além de se ajoelhar e orar ao Senhor, precisa incluir nisso o jejum e o pranto. Quanto mais você chorar, mais rápido vai conseguir sua Bíblia.
Desde esse dia, me recusava a comer de manhã e de tarde. A noite, aceitava apenas uma pequena tigela de arroz cozido. Chorava como uma criança faminta, que clama ao Pai celestial para ser saciada pela Palavra. Nos cem dias que se seguiram, orei por uma Bíblia até não agüentar mais. Para os meus pais, eu estava enlouquecendo.
Olhando para o passado, eu diria que foi a experiência mais difícil que enfrentei.
Então, um dia, algo aconteceu. Às quatro horas da madrugada, depois de meses implorando a Deus em oração, recebi uma visão do Senhor enquanto estava ajoelhado ao lado da minha cama.
Na visão eu subia uma colina íngreme, tentando empurrar um carrinho pesado. Ia para uma vila, onde pretendia pedir alimento para minha família. Minha luta era intensa, pois me encontrava faminto e fraco devido ao jejum constante. O carrinho velho estava a ponto de rolar por cima de mim.

Nesse momento vi três homens descendo a colina na minha direção. Um deles era velho, de ar bondoso, com uma longa barba. Ele empurrava um carrinho cheio de pães frescos. Os outros dois caminhavam, um de cada lado do carro. Ao me ver, o idoso sentiu muita pena e demonstrou compaixão.
- Você está com fome? perguntou ele.
- Sim. Não tenho nada para comer. Estou indo arrumar comida para minha família, respondi.
E eu chorei, pois minha família era extremamente pobre. Por causa da doença do meu pai, havíamos vendido tudo de valor para comprar remédios. Tínhamos pouca coisa para comer e, durante vários anos, fomos obrigados a pedir ajuda aos amigos e vizinhos.
Quando aquele homem me perguntou se eu estava com fome, só consegui chorar. E ele demonstrou amor e compaixão como eu nunca havia visto.
Ele pegou no carrinho um pacote vermelho contendo pão, e pediu que os outros dois, que eram seus servos, o entregassem para mim. Em seguida falou:
"Coma imediatamente."
Abri o embrulho e vi que o pão era fresco. Quando coloquei o pão doce na boca, imediatamente ele se transformou em uma Bíblia! Na visão, ajoelhei-me no mesmo instante, segurando minha Bíblia, e gritei ao Senhor para lhe agradecer:
"Senhor, teu nome é digno de louvor! Não desprezaste minha oração. Permitiste que eu recebesse esta Bíblia. Quero te servir pelo resto da minha vida."
Logo acordei e passei a procurar a Bíblia pela casa. O resto da família ainda dormia. A visão havia sido tão real que, ao descobrir que fora apenas um sonho, fui tomado de uma angústia profunda e não controlei o choro. Meus pais vieram correndo do quarto para ver o que havia acontecido. Achavam que eu tinha enlouquecido depois de tanto jejum e oração. Contei a visão, mas, quanto mais eu falava, mais eles pensavam que eu estava doido! Minha mãe falou:
"O dia ainda não raiou, e ninguém veio aqui em casa. A porta está trancada."
Meu pai me segurou com força. E, com lágrimas nos olhos, clamou a Deus:
"Querido Senhor, tem misericórdia do meu filho. Por favor, não permitas que ele enlouqueça. Prefiro ficar doente de novo se isso evitar que ele fique doido. Por favor, dá uma Bíblia ao meu filho!"
Nós três nos ajoelhamos e choramos juntos, de braços dados.
De repente, ouvi uma batida fraca na porta. Uma voz muito gentil chamou meu nome. Corri até lá e, com a porta ainda trancada, perguntei:
- Você está trazendo pão para mim? A voz replicou:
- Sim, temos um banquete para você. Reconheci imediatamente a voz que ouvira na visão. Abri logo a porta e lá estavam, bem na minha frente, os dois servos que eu vira. Um deles carregava um pacote vermelho. Meu coração disparou. Abri o embrulho e segurei a minha própria Bíblia!
Os dois partiram apressadamente, antes mesmo de o sol nascer.
Apertei a Bíblia contra o peito e caí de joelhos do lado de fora da casa. Não parava de agradecer a Deus! Prometi a Jesus que, daquele momento em diante, devoraria sua Palavra como uma criança faminta.
Depois fiquei sabendo o nome dos dois homens. Um era o Irmão Wang e o outro, o Irmão Sung. Eles tinham vindo de uma vila distante. Falaram-me sobre um evangelista que eu não conhecia e que havia sofrido terrivelmente pelo Senhor durante a Revolução Cultural, quase morrendo por causa das torturas.
Cerca de três meses antes do dia em que recebi minha Bíblia, o evangelista tivera uma visão do Senhor. Ele viu um jovem, a quem deveria dar a Bíblia que havia escondido.
Viu também nossa casa e a localização dela na vila.
Como muitos cristãos daquela época, ele colocara a Bíblia em uma lata e a enterrara em um buraco bem fundo. Tinha a esperança de que chegasse o dia em que poderia desenterrá-la e voltar a lê-la. A despeito da visão, só alguns meses depois decidiu obedecer a Deus. Pediu a dois cristãos para me entregarem a Bíblia. Então eles caminharam a noite inteira até chegarem à minha casa.
Daquele momento em diante, passei a orar a Jesus com mais fé. Confiava de todo o coração que as palavras da Bíblia eram palavras que Deus dirigia a mim. Não me separava da minha Bíblia. Até quando dormia, eu a segurava sobre o peito. Passei de fato a devorar seus ensinamentos como uma criança faminta.
Foi o primeiro presente que recebi de Deus em resposta a uma oração.”

Fonte: Irmão Yun com Paul Hattaway, O Homem do Céu. Editora Betânia. Belo Horizonte, 2005.

Adquira o seu exemplar do livro no site: www.editorabetania.com.br/





Esta é Chen Guo Zi, de 80 anos, recebeu sua Bíblia através de doação. Feliz declarou: "Sou cristã a 14 anos, hoje recebi minha primeira Bíblia." Chen abraçou o Livro e chorou. (Fonte: http://www.atendanarocha.com/)

Para saber mais sobre formas de enviar bíblias para a China e o mundo acesse: http://www.atendanarocha.com/2010/07/doando-biblias-para-o-mundo.html


O filme Bambus no inverno

Este filme conta um pouco da igreja subterrânea chinesa. Se passa um pequeno vilarejo do interior da China, onde comunidade vive à mercê do comunismo, sofrendo diversas repressões do Regime governamental de sua época. Ah-Choi é uma das poucas jovens que conseguiu uma boa formação acadêmica e não aceita desistir dos seus sonhos para entregar-se às pressões dos seus governantes. Ela vive à procura de uma resposta e algo que complete o seu interior. Seu pai vive bebendo para esquecer o seu passado e as perseguições sofridas junto com a sua esposa que morreu torturada pelos comunistas por causa do cristianismo. Ele teme que Ah-Choi sofra por se envolver com a fé cristã. Quando o evangelista itinerante chega à vila para distribuir e ensinar a Bíblia, ela questiona e acha uma grande tolice a sua vida de sacrifício e simplicidade. Com o passar do tempo, a transformação de vidas através do amor leva Ah-Choi a entender a mensagem da salvação. A fé de todos é provada quando o exército comunista faz uma busca à procura do evangelista, queimando seus livros e espancando todos que o seguem.

Adquira o filme em: http://www.portasabertas.org/






A história de Mary Jones

O início do movimento das sociedades bíblicas

Levar a bíblia a todos os povos, em uma língua que possam entender e a um preço que possam pagar - teria sido inspirado na humildade, determinaçao e coragem de Mary Jones.


 
A admirável determinação de uma menina galesa em conseguir um exemplar da Bíblia inspirou a fundação da primeira Sociedade Bíblica. Conta-se que a Sociedades Bíblicas, entidades dedicadas à produção e distribuição do Livro Sagrado, em atividades no mundo todo, tiveram sua origem na bela história de uma menina. O lema das Sociedades Bíblicas - levar a bíblia a todos os povos, em uma língua que possam entender e a um preço que possam pagar - teria sido inspirado na humildade, determinação e coragem de Mary Jones, que viveu no Pais de Gales (Gra-Bretanha), durante o século XVIII. Em 1792, aos 8 anos de idade, Mary Jones começou a acalentar um sonho: ter a sua própria Bíblia. Ela queria poder ler, em sua casa, aquelas histórias tao bonitas que costumava ouvir na igreja. Esse desejo, no entanto, parecia impossível de ser realizado. Mary, que morava em uma pequena vila chamada Alan, ainda não sabia ler - e, infelizmente, nao havia escolas nas redondezas. Além disso, naquele tempo, as Bíblias - assim como os demais livros - eram muito raras e caras. Só poucos privilegiados podiam ter um exemplar das Escrituras Sagradas. E este não era o caso da menina, cuja família era muito pobre. Mesmo assim, Mary Jones fez uma promessa a si mesma: um dia, ele teria a sua própria Bíblia.

O Primeiro Passo

Ao completar 10 anos, a menina viu surgir uma oportunidade de aprender a ler. Seu pai foi vender tecidos numa vila próxima, chamada Aber, e soube que ali seria aberta uma escola primária. Tempos depois, quando a escola começou a funcionar, Mary foi uma das primeiras crianças a se matricular. Muito motivada, ela logo se tornou uma das primeiras alunas de sua classe. Em pouco tempo, aprendeu a ler.

Enquanto isso, a menina continuava firme em seu propósito de conseguir a sua Bíblia. Agora que já sabia ler, a grande dificuldade era conseguir a quantia necessária para comprá-la. Para isso, fazia pequenos trabalhos, com os quais ganhava alguns trocados. Pegava lenha na mata para pessoas idosas e cuidava de crianças. Depois, com a intenção de ganhar um pouco mais, a menina comprou algumas galinhas e passou a vender ovos.

Passado o primeiro ano de economias, Mary abriu o cofre para conferir quanto havia guardado. Mas chegou a uma triste conclusão: havia conseguido economizar apenas uma pequena parte do que precisava para comprar a sua Bíblia. Durante o segundo ano em que estava juntando dinheiro, Mary aprendeu a costurar. Com isso, conseguiu guardar um valor maior – embora não o suficiente, ainda para concretizar o seu sonho.

Mais um ano

Então, no correr do terceiro ano, Mary teve de enfrentar uma acontecimento imprevisto - seu pai, ficou doente e deixou de trabalhar. Por isso, ele teve que dar tudo o que havia economizado durante aquele ano para sua família. E, desta vez, Mary não pode colocar nada no cofre. Mas continuou trabalhando e, no final do quarto ano, conseguiu completar a quantia de que precisava para comprar a Bíblia. Nessa época, Mary tinha 15 anos de idade.

Ela já podia, então, comprar a sua tão sonhada Bíblia. Mas onde iria encontrá-la? O pastor de sua igreja lhe informou que não era possível comprar Bíblias em Alan, nem nas vilas vizinhas. Ela só conseguiria encontrar um exemplar na cidade de Bala, que ficava a 40 quilômetros dali. Naquela cidade, morava o Rev. Thomas Charles, que costumava ter em sua casa alguns exemplares das Escrituras Sagradas, para vendê-los as pessoas da região.

Com esta informação, Mary foi para casa e pediu a seus pais que a deixassem ir a cidade de Bala. No inicio, eles não queriam que ela fosse sozinha. Mas a mocinha insistiu tanto, que os pais acabaram concordando.

Sem sapatos

A longa viagem de Mary Jones foi feita a pé. Pensando em poupar seus sapatos da dura caminhada, a fim de poder usá-los na cidade, ela resolveu ir descalça. Depois de caminhar o dia todo, por fim, no inicio da noite, Mary chegou à casa do Rev. Thomas Charles. Ali, no entanto, mais uma dificuldade a esperava: o Rev. Thomas havia vendido todas as suas Bíblias. Ele ainda tinha alguns poucos exemplares, mas esses já estavam todos encomendados.

Ao receber essa noticia, Mary começou a chorar. Em seguida, mais calma, ela contou toda sua longa história ao Rev. Thomas Charles. Então o pastor, comovido, dirigiu-se até um armário, retirou de lá uma das Bíblias vendidas e entregou-a à Mary.

Impressionado com a história daquela menina, o Rev. Thomas resolveu contar o que tinha ouvido aos diretores da Sociedade de Folhetos Religiosos, uma entidade Crista local. Profundamente tocados com a luta de Mary Jones para conseguir seu exemplar da Bíblia, os diretores daquela organização chegaram à conclusão de que experiências como a dela não deveriam mais se repetir. Decidiram, então, fazer alguma coisa para tornar a palavra de Deus acessível a todos. E, depois de muito estudo e oração, resolveram organizar uma nova sociedade, com a finalidade de traduzir, imprimir e distribuir a Bíblia. Foi assim que, no dia 7 de dezembro de 1802, foi fundada a primeira sociedade Bíblica, que recebeu o nome de Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira.


Fonte:  http://www.icrvb.com/ (baseado)

domingo, 9 de outubro de 2011

A história de Rute

Remida pela Graça
No tempo dos juízes houve fome na terra e um homem de Belém de Judá saiu a peregrinar nos campos de Moabe junto com sua esposa Noemi e seus dois filhos Malom e Quiliom. E morreu Elimeleque, marido de Noemi, e seus dois filhos se casaram-se com as moabitas Orfa e Rute. Posteriormente morreram também os seus filhos ficando as duas noras e Noemi desamparadas. Pelo que Noemi pediu às suas duas noras para que voltassem para suas casas e seu povo abençoando-as na despedida.


Porém Rute instou para ficar com ela:

“Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus; Onde quer que morreres morrerei eu, e ali serei sepultada. Faça-me assim o SENHOR, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti.” Rute 1:16-17

Rute viu em Noemi mais do que a ligação de parentesco por estar casada com seu filho. Mesmo após a morte do filho de Noemi Rute não deixou a sua sogra e não a desamparou. A ligação com ela era uma ligação não apenas com ela mas uma ligação com o seu povo e seu Deus - até a morte.

Ambas foram a Belém e chegaram no princípio da sega das cevadas. Rute então pediu a Noemi para ir até as plantações catar as espigas que ficavam caídas no chão após a sega dos trabalhadores. Após ter feito isso, por acaso ela entrou numa plantação que era de Boaz, um parente de Elimeleque e pôs-se a colher as espigas caidas.


Boaz ao chegar ao campo pergunta ao chefe dos trabalhadores quem é a moça, e este o informa que trata-se da moabita que veio de Moabe com Noemi. Então Boaz se dirige à moça e lhe diz:

“Ouves, filha minha; não vás colher em outro campo, nem tampouco passes daqui; porém aqui ficarás com as minhas moças. Os teus olhos estarão atentos no campo que segarem, e irás após elas; não dei ordem aos moços, que não te molestem? Tendo tu sede, vai aos vasos, e bebe do que os moços tirarem. Então ela caiu sobre o seu rosto, e se inclinou à terra; e disse-lhe: Por que achei graça em teus olhos, para que faças caso de mim, sendo eu uma estrangeira? E respondeu Boaz, e disse-lhe: Bem se me contou quanto fizeste à tua sogra, depois da morte de teu marido; e deixaste a teu pai e a tua mãe, e a terra onde nasceste, e vieste para um povo que antes não conheceste. O SENHOR retribua o teu feito; e te seja concedido pleno galardão da parte do SENHOR Deus de Israel, sob cujas asas te vieste abrigar. E disse ela: Ache eu graça em teus olhos, senhor meu, pois me consolaste, e falaste ao coração da tua serva, não sendo eu ainda como uma das tuas criadas. E, sendo já hora de comer, disse-lhe Boaz: Achega-te aqui, e come do pão, e molha o teu bocado no vinagre. E ela se assentou ao lado dos segadores, e ele lhe deu do trigo tostado, e comeu, e se fartou, e ainda lhe sobejou.“ Rute 2:8-14

Boaz é a figura de Cristo pois é o Senhor da Seara. É um homem de poder e valor e nos trata com carinho. Aqueles que estão na sua presença no seu campo e participam da sua seara terão uma porção farta e sobejante assim como Jesus nos promete. Rute representa os gentios a quem a mensagem de salvação é dirigida. Rute é estrangeira e de muito longe da terra da idolatria e do pecado. Ela é pobre e necessitada assim como nós somos pobres espíritualmente e necessitamos da salvação e graça de Jesus. A história de Rute é como a nossa gentios e crentes em Jesus, que muitas vezes temos que abrir mão de pai, mãe e terra e ir para um povo que não conhecemos quando somos chamados para anunciar Sua palavra.

“Havendo, pois, Boaz comido e bebido, e estando já o seu coração alegre, veio deitar-se ao pé de um monte de grãos; então veio ela de mansinho, e lhe descobriu os pés, e se deitou. E sucedeu que, pela meia noite, o homem estremeceu, e se voltou; e eis que uma mulher jazia a seus pés. E disse ele: Quem és tu? E ela disse: Sou Rute, tua serva; estende pois tua capa sobre a tua serva, porque tu és o remidor.” Rute 3:7-9

Rute se deitou aos pés de Boaz. Esse ato representava que Rute se colocava na dependência de seu remidor. Uma mulher viúva como Rute pela tradição Judaica poderia se deitar aos pés do parente homem mais próximo dela para que ele a tomasse por esposa e a remisse. Assim nós crentes quando nos prostramos aos pés de Jesus encontramos descanso para nossa alma. Os pés de Jesus antes transpassados por nossas iniqüidades na cruz tornaram-se após a ressurreição como de latão reluzente e hoje brilham a Glória do Pai. A seus pés há paz, graça e toda a sorte de bênçãos.


Jesus também se alegra quando nós descansamos das preocupações diárias, aos seus pés, assim como Rute descansou aos pés de Boaz. Assim como Maria irmã de Marta também descansou aos pés do seu “raboni” ao ouvir a sua palavra. Ela escolheu a boa parte e encontrou descanso para sua alma diferente de sua irmã Marta que estava preocupada com os afazeres diários.

” E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada. Lucas 10:38-42

Há quanto tempo você entrou no campo do Senhor. Você veio com fome e o Senhor te saciou e ainda sobejou alimento? Se ainda não, certamente Ele o fará. Ele dá ordem aos seus trabalhadores da seara: os seus anjos que não toquem em você, mas que deixem as espigas caídas para que você as pegue. Diz a outros trabalhadores da seara: pastores, evangelistas, ministros, professores, apóstolos e profetas que te dem água para beber – as águas da sua palavra que saciam a sede da alma. Mas há um dia especial marcado na agenda de Deus. O dia que ele te remirá de tuas vergonhas. Um dia de alegria em que Ele te tomaria pela mão e se casará contigo. O dia que Ele te cobrirá com a sua capa e debaixo de sua sombra estarás seguro. Abre o teu coração a Ele, aceita ao Senhor Jesus como único Senhor e suficiente Salvador de tua vida. Então poderás encontrar descanso para tua alma! E se você já crê, então confia e entrega a Ele TODO o teu coração! É difícil mas é o seu pedido.

As vestes que cobrem a nossa vergonha e nudez e são a promessa de remissão em cristo: as mesmas vestes que o Senhor utilizou para cobrir a Adão e Eva após o pecado entrar na terra. (Génesis 3:21).

Essa promessa se cumpriu no manto carmesim de Jesus, no manto do seu sangue, onde há remissão de pecados. A mulher que tinha um fluxo de sangue há 12 anos foi curada ao tocar nas vestes do mestre com um toque de fé. (Marcos 5:25-34). Naquela época e até os dias de hoje, todos os lhe rogam e o tocam com fé, são curados de todo o mal: “E rogavam-lhe que ao menos eles pudessem tocar a orla da sua roupa; e todos os que a tocavam ficavam sãos.” Mateus 14:36


A palavra de Deus não volta vazia mas faz aquilo que lhe apraz e prospera (Isaias 55:11). Deus não faz acepção de pessoas (Romanos 2:11): ele não beneficia certos filhos em detrimento de outros mas têm chamados específicos e a seu tempo para cada parte do corpo de Cristo: nós sua igreja.

Assim como Jesus fazia há mais de 2000 anos atrás Ele faz ainda hoje. Certa vez um aluno meu da EBD foi atropelado por um caminhão. Ele jazia no hospital com traumatismo craniano e coágulos no cérebro. A minha esposa visitou-o no hospital e orou ao Senhor por sua cura. O Senhor lhe disse: “Eis que os meus planos para este são de vida e não de morte”. O rapaz contrariando todos os pareceres médicos recuperou-se e hoje vive uma vida normal. O Senhor Jesus cura até os dias de hoje! A L E L U I A!

Rute era aparentada com Boaz pelo casamento assim a igreja gentia é aparentada com cristo como a noiva ao esposo. Assim como Rute era gentia e alcançou as promessas feitas a Abraão pela fé e não pela lei, como os judeus se propunham. Assim nós gentios fomos inxertados na videira que é Cristo, e pela fé e não por qualquer coisa que possamos fazer, fomos feitos coparticipantes da aliança abraamica e de suas promessas.


“ E, passando eu junto de ti, vi-te, e eis que o teu tempo era tempo de amores; e estendi sobre ti a aba do meu manto, e cobri a tua nudez; e dei-te juramento, e entrei em aliança contigo, diz o Senhor DEUS, e tu ficaste sendo minha.” Ezequiel 16:8

“Regozijar-me-ei muito no SENHOR, a minha alma se alegrará no meu Deus; porque me vestiu de roupas de salvação, cobriu-me com o manto de justiça, como um noivo se adorna com turbante sacerdotal, e como a noiva que se enfeita com as suas jóias. “ Isaías 62:10

A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja glorificado. Isaías 61:3

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Grupo Vinho Novo


Era uma noite fria em Juiz de Fora. Estava jantando em uma lanchonete em frente ao cine Theatro Central. De repente ouço uns acordes de som vindo de um palco montado em frente ao teatro. Mas ao me deter na melodia percebo que trata-se de uma letra que fala de Jesus...

Faziam anos que não ia naquela cidade. Minha imagem de Juiz de Fora era a minha própria imagem nos tempos da universidade, da falta de valores cristãos, onde o frio da cidade se confundia com o frio em meu interior. Mas o Senhor me levou àquele lugar para mostrar algo novo que Ele está fazendo.

O calor do som invade nossa alma. O fogo do Espírito aquece o coração de quem passa no calçadão da rua Halfeld. As pessoas param para assistir e uma pequena multidão se forma aos pés do morro do Imperador.

A banda se chama Vinho Novo. A melodia fala de Jesus, de salvação e graça. O pessoa de Jesus se faz sentir entre os presentes. No palco Pablo Olivares vocalista da banda junto com sua esposa Narda Inêz e suas filhas Ludmila e Raquel nos convidam a abrir os nossos corações. O que se vê é um mover de Deus. As músicas são lindas e a melodia contagiante.

Descobrimos que banda já tem 21 anos mas o Vinho é Novo. Não estamos ainda no final da festa e as águas já estão se transformando no melhor vinho. Nossa oração é que esse vinho se multiplique em muitos e grandes odres novos e as águas se transformem na alegria da festa para que cada vez mais sejam povoados os céus!!!

O último CD "Preciso Crer" além do 1º DVD de mesmo nome trás músicas inéditas como: "Verdadeiro adorador" e "Preciso crer". Abaixo foto do grupo:



Falemos um pouco da banda que já é tremendo sucesso:

O Ministério Vinho Novo®, conta hoje com 06 CD’s e um DVD e o seu líder Luiz Cardoso tem participações e composições musicais interpretadas por Marcos Góes, Altos Louvores, Vencedores Por Cristo, Quarteto Vida, Banda Fé, Banda e Voz, Natan Brito, Christiane Férr, Adriana Barros e outros.

Turnês/Shows:

Alguns eventos:

• Louvor Profético, Hotel Quitandinha Petrópolis, juntamente com Abran Laboriel, Rick Pantoja, Asaf Borba, Koinonia e outros.

• Projetos da Rede Melodia, no estado do Rio de Janeiro e Minas Gerais;

• Nos Projetos “CELEBRAI” e “CLAMOR PELA PAZ”, este último na Quinta da Boa Vista - RJ, com aproximadamente 300 mil pessoas presentes;

• Instituto Ana Gonzaga, no Rio de Janeiro com a presença de 70 mil pessoas;

• Em Contagem, no Som do Céu (MPC);

• Estádio do Mineirão em BH, na Cruzada Evangelística Henhard Bonk;

• Minas Centro, BH;

• Maracanazinho, RJ;

• Teatros de; Juiz de fora; Matias Barbosa; Três Rios; Petrópolis; Poços de Caldas; Águas de Lindóia, SP; Pouso alegre; Caxambu; Santa Rita do Sapucaí; Lambari, Teresópolis, Itaipava, Magé, Rio das Ostras, Cabo Frio, e outros.

• Parques de Exposições Agropecuárias: Além Paraíba; Juiz de Fora; Chácara; Maripá de Minas; Bicas; São João do Nepomuceno; Rio das Flores; itaipava; Três Rios; Tabuleiro/Mg e outras.

• “Marcha para Jesus” em: Juiz de Fora; Bicas; Ipanema; Caxambu, Petrópolis, Rio das Flores, Santos Dumont, Três Rios e outras cidades,

• Cabofolia – Evangelistico com aproximadamente 30 mil pessoas,

• Programa do “Balaio” na rede Super de TV, em BH, em rede nacional.


Discografia:

07 CDs e 02 DVD. Aproximadamente 90 mil CDS.

Em 1991, "FIEL E JUSTO”: Lançado no Teatro Pró-Música – Juiz de Fora

Em 1995: "EM TUA PRESENÇA”: Lançado no Teatro Solar - JF

Em 1998: "EXULTO": Lançado no Cine Teatro Central, no dia 1º de maio de 1998, Neste CD canta “Vinho Novo Kids” : formado por Ludimila, Raquel e Rafael.

Em 2001: “VINHO NOVO AO VIVO – 10 anos”: CD gravado no teatro Solar - Juiz de Fora. Banda Vinho Novo e coral com representantes de várias comunidades de Cristãs de Juiz de Fora

Em 2003: “TEMPO DE DEUS”: lançado pela Top Gospel - Rio de Janeiro

Em 2006: “PRECISO CRER”: CD e 1º DVD – 6º CD e 1º DVD – projeto intitulado “Música Cristã Solidária”, apoiada pela Lei de Incentivo à Cultura Murilo Mendes, com captação de alimentos para doações.

Em 2011: “VIVER DE VERDADE”: projeto intitulado “Música e Ação Solidária”, apoiada pela Lei de Incentivo à Cultura Murilo Mendes, com entrada solidária de alimentos


Integrantes VN2011:

Luiz Cardoso - voz e violão
Narda Inêz – voz
Ludimila – voz / Raquel – voz
Josias Campos - teclados
Amauri de Moura - contra baixo
Nilo Fernandes - guitarra
Davi - Bateria



(conheça mais sobre o grupo em: http://www.vinhonovo.com.br/).